domingo, 23 de maio de 2010

Li Harry Potter


Foi em 1999-2000. Ninguém nem sabia o que era Harry Potter, embora o livro tenha sido lançado fora do Brasil em 97. Nem eu. Não fazia a menor idéia...
Mas eu gostava bastante de ler, eu tinha 10 anos e tinha acabado de ler O Mundo de Sofia.
Então, não hesitei em ir a uma livraria pra escolher meu presente de Natal.
Lembro que estava vasculhando tudo, mais ou menos na parte juvenil e me deparei com um caldeirãozinho de papelão com uns cinco livro empilhados. Na capa lia-se: "Harry Potter e a Pedra Filosofal", ainda não com aquela fonte padrão do resto dos seus livros, uma coisa mais Bookman Old Style, sabe? rs
Enfim. Algo ali me encantou. E sinceramente? acho que foi a palavra "filosofal", estava com isso na cabeça, filosofia... e logo quis saber mais...
Bom, eu realmente achei que fosse um livro sobre filosofia. rs É interessante saber que eu comecei a ler o exemplar sem saber do que se tratava, isso torna tudo mais diferente e emocionante.
Logo comecei a me identificar pois o Harry tinha a mesma idade que eu. E quando percebi que não tinha nada a ver com a tal filosofia tive uma impulsiva frustração... de segundos. Até eu começar a ler a próxima frase. E a próxima, e a próxima, e o capítulo e toda aquela história magnífica, bem escrita, coesa. Cheguei ao fim do livro em 3 dias e me apaixonei.
Li todos os livros mais ou menos com a mesma idade, acompanhando o crescimento dele paralelo ao meu.
Sabe, nunca tive esse fanatismo ou participei da Febre HP, da moda, desse universo que se criou e acho que distorceu um pouco do que a história é.
Não é um livro apenas para crianças ou adolescentes. Há passagens nele, onde é preciso muita sabedoria e sensibilidade para entender o sentido por trás, por exemplo, daquela magia de tortura que é imperdoável e pior do que a morte; do beijo do dementador; daquele espelho que nos mostra nosso sonho; do armário que se transforma em nosso medo; no patrono que só é conjurado quando você pensa na coisa mais feliz pra você.
Simplesmente tenho uma grande admiração pela escritora, J.K.Rowling, pois sua obra alem de EXTREMAMENTE envolvente, é coerente, não dá vasão a histórias mal contadas e é quase impossível encontrar uma contradição. São 7 livros e os 7 são igualmente incríveis, ela não perdeu a mão, ela sabia exatamente como tudo terminaria desde o começo, sem ser clichê, sem buscar o final feliz ou vago.
Sem falar na criatividade, todo o mundo que ela criou e as formas de chegar e se viver nele, criando um paradoxo com a realidade que nos faz, as vezes, pensar... "será que pode acontecer comigo?".
O conhecimento da mente humana, da psicologia, explorando os anseios, medos e o que pode haver de mais sofrível em qualquer mundo. Sem receio de lidar com o que fosse, com as palavras certas.
Espero de coração que as próximas gerações tenham contato com essa série e consigam absorver toda a magia e significados que essa história excelente tem pra nos oferecer e que ainda me encantará durante muitos anos...
:)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

É a primeira vez que vem aqui? ;)